O papel da manutenção em tempos de crise

novembro 23, 2015 7 comentários

Depois de muito tempo sem publicar novidades no Blog, hoje escrevo sobre um tema que se arrasta há alguns meses e ainda poderá continuar por um bom tempo em pauta, que é o momento de incertezas que vivemos, principalmente na economia.

O objetivo do meu post não é entrar nas questões políticas atuais desse momento de crise e sim apresentar algumas possibilidades que se apresentam, pois podemos evoluir, mesmo diante de tempos de crises.

O cenário atual pode afetar consideravelmente os planos de investimentos das empresas e com isso afetar o crescimento econômico de uma maneira geral, o que freia o momento que o nosso pais vivia, que até então era considerado positivo, com atuação forte com outros países emergentes.

A Manutenção é uma grande aliada na redução dos custos operacionais e também para garantir a qualidade dos produtos e serviços. Nós profissionais de Manutenção podemos e devemos criar oportunidades para ganhar espaço frente as demais empresas do mercado, pois uma equipe de manutenção bem “ajustada”, é um grande diferencial de competitividade. Uma prova da importância do papel da Manutenção é que profissionais ligados ao suporte da operação (como a Manutenção) são os menos impactados pela redução do quadro de funcionários.

Segundo dados da Associação Brasileira de Manutenção (ABRAMAN) de 2013, os gastos com manutenção em média representam 4,69% em relação a receita das empresas, todo e qualquer estudo para redução de custos deve levar em consideração o impacto dessas ações.

É muito comum, nesses momentos que ocorra uma retração, porém é muito importante que não afetem investimentos futuros, que devem ser feitos de maneira estratégica e com uma correta priorização das ações que serão mais efetivas em um momento futuro de crescimento.

Além dessa crise econômica, temos a crise hídrica e energética, que faz com que os desafios sejam ainda maiores, a seguir são relacionadas algumas ações e pontos de reflexão que devem ser considerados nesses momentos:

  • Como o momento é de segurar gastos com a aquisição de peças e serviços é importante utilizar um bom tempo para revisar os procedimentos e planos de manutenção, para que no momento de aquecimento da economia, as práticas de manutenção estejam de acordo com o novo cenário;
  • Criar planos de melhorias em conjunto com as áreas clientes;
  • Criar grupos e metodologia para análise de falhas;
  • Trabalhar na redução de consumo de água e energia elétrica, seja com conscientização, ou até mesma com a substituição dos altos consumidores (por exemplo equipamentos antigos ou na substituição de lâmpadas fluorescentes por LED);
  • Nesse momento o corte de treinamentos externos é quase certo, porém é possível também desenvolver as equipes com mão de obra interna, multiplicando o conhecimento cada um na sua área de formação;
  • A gestão da manutenção é uma tarefa constante e esse momento é útil para que seja elaborado um planejamento visando os próximos anos;
  • Pensar nas questões de eficiência e confiabilidade dos ativos da empresa;
  • Necessidade de um sistema de gestão da manutenção;
  • Com uma diminuição na aquisição de itens sobressalentes, para não se comprar itens de baixa qualidade é interessante desenvolver novos fornecedores ou até buscar soluções inovadoras e preços mais competitivos.

E para vocês?

Quais ações precisam ou estão sendo desenvolvidas em sua empresa no momento de crise?

 

Está chegando o 30º Congresso Brasileiro de Manutenção e Gestão de Ativos

Congresso Abraman

Mais detalhes em: http://www.abraman.org.br/30-cbmga

Análise de Vibrações em Baixas rotações Mito ou Realidade?

Hoje, pela primeira vez no blog, vamos publicar um estudo de caso, que foi enviado pelo Anderson Ribeiro Lacerda para colaborar com o trabalho do Blog Manutenção Eficaz, segue o artigo:

Desde o princípio da utilização da técnica de análise de vibrações na indústria a grande dúvida sempre foi qual a melhor técnica para inspecionar mancais de baixa rotação? Muito se falou de medição de deslocamento, envelope, vários filtros entre outras técnicas, mas sempre o rolamento acaba quebrando e gerando uma parada indesejada de produção. Análise de vibrações não é mágica e sim matemática! Para tal necessita de dados confiáveis e a escolha da técnica correta para cada casos, neste caso o ENVELOPE NO DOMÍNIO DO TEMPO e ACELERAÇÃO PICO A PICO são as técnicas com melhor resposta para mancais de baixa rotação, sendo que todos os dados técnicos (Rotação, Cod. do rolamento) devem estar de acordo com o desenho do equipamento a ser analisado, bem como o range de medição deve ser calculado conforme freqüência de interesse.

Para saber o range a ser utilizado devemos calcular todas as frequências de interesse, lembrando que neste caso estamos trabalhando com o DOMÍNIO DO TEMPO e todas as frequências devem ser convertidas. Para tal conversão Utilize 1/F, onde F e a freqüência de interesse sempre em Hz para obter os resultados segundos. Abaixo Case exemplo

CaseAnálise de vibrações em mancais de rosca sem fim.

Equipamento      – Rosca sem fim

Sub-conjunto      – Mancais

Rotação              – 83 RPM

Cod. Rolamento – 23040cc SKF

Em Todas paradas de fim ano é realizado a medição pontual de vibração nos mancais da rosca sem fim de um silo (sem acesso durante produção), sendo utilizada a técnica de Envelope no domínio do tempo e aceleração visando verificar a necessidade da troca dos rolamentos em cada parada, lembrando que este equipamento deverá operar todo o próximo ano sem intervenções.

Tabela com as frequências calculadas para rotação de 83,5 RPM

Sem título

Todas as frequências foram calculadas com a utilização do software PRISM4 modulo FAM

Com as frequências já definidas foi utilizado dois ranges 0 a 1 segundo e 0 a 2 segundos de coleta para assim podermos avaliar vários ciclos garantindo a confiabilidade nas análises.

Diagnóstico dos dados de vibrações 

Foi identificado que o mancal avaliado não poderia ser mantido em operação por mais 1 ano, devido o mesmo estar apresentando defeito na pista externa, esfera do rolamento 23040cc e folgas devido à degradação dos componentes: mancal, eixo e bucha. Sendo recomendada a troca dos componentes antes de um novo ciclo de produção. Abaixo espectro:

Figura1Imagem 01 – Espectro de aceleração no domino do tempo com destaque para freqüência de defeito das esferas 6,6 Hz ou 0, 1521s

Figura2Imagem 02 – Espectro de envelope no domino do tempo com destaque para freqüência de pista externa 15,6 Hz ou 0, 0640

Avaliação visual após abertura do mancal

Com o mancal aberto pudemos avaliar visualmente os componentes danificados e comprovar a eficácia da técnica de análise de vibrações em mancais de baixa rotação, com destaque para a técnica de ENVELOPE NO DOMÍNIO DO TEMPO.

Lista de componentes danificados

– Mancal degradado

– Eixo danificado

– Roletes do rolamento com pits

– Pista externa do rolamento com risco paralelo aos roletes e descamação

– Bucha completamente danificada

Fotos dos componentes danificados

Figura3

Imagem 03 – Pista externa do rolamento 23040cc apresentando marcas e pit’s.

Figura4

Imagem 04 – Bucha completamente danificada.

Figura5

Imagem 05 – Eixo apresenta degradação devido atrito.

Conclusão

Foi de suma importância a inspeção e diagnóstico precoce e preciso dos defeitos no mancal da rosca sem fim do silo, evitado a quebra do equipamento bem como a parada indesejada de produção e um prejuízo muitas vezes incalculável. Mais uma vez a técnica preditiva se mostrou precisa e muito útil em relação à predição de defeito em maquinas rotativas.

Anderson Ribeiro Lacerda

Pós – Graduado em gestão da Industrial, Graduado em tecnologia em processo de produção, Técnico em mecatrônica pela ETE Julio de Mesquita (2002), especializado em manutenção preditiva e lubrificação industrial com certificação internacional em Análise de Vibrações II, ISO 18436 – Mobius Institute – Merricks North – Austrália; Trabalha atualmente com consultoria e treinamento em manutenções preditivas na Semeq.

Abraman promove Workshops sobre o Exame Internacional SMRP

Dois workshops estão programados para 2013, sendo um no primeiro semestre, e outro, no segundo; eventos serão ministrados por especialistas de mercado, como o presidente da Associação; exame certifica em Manutenção e Confiabilidade.

 
Atenta às tendências do mercado, a Associação Brasileira de Manutenção e Gestão de Ativos (Abraman) fechou importante parceria com a Sociedade Americana de Profissionais de Manutenção (SMRP), dos Estados Unidos, para formação conjunta de profissionais. Neste ano, a Abraman vai promover, na sede (Avenida Marechal Câmara, 160, sala 320, Centro, Rio de Janeiro), dois Workshops SMRP sobre o Exame Internacional de Certificação em Manutenção e Confiabilidade, outorgado pela SMRP. O primeiro será realizado nos dias 26 e 27 de abril, três e quatro de maio. O segundo está programado para acontecer nos dias 23, 24, 30 e 31 de agosto.

 

Além do Presidente da Abraman, Dr. João Ricardo Barusso Lafraia, os instrutores confirmados são Cláudio Caiani Spanó, Diretor da Reliasoft; ítalo de Freitas, Diretor da ASE Tietê; e Francilei Pereira, Consultor de Confiabilidade da Meridium. No total serão seis temas debatidos: Conceitos de Confiabilidade; Negócios e Administração; Confiabilidade de Processos de Manufatura; Confiabilidade de Equipamentos; Competências Necessárias para o Profissional; e Gestão do Trabalho de Manutenção.

O curso visa atender à demanda de profissionais de Manutenção e validar seus conhecimentos para serem reconhecidos como profissionais certificados em Confiabilidade. O valor do investimento para não associados é de R$ 460, já para associados, R$ 400. Às sextas-feiras, as aulas serão das 17h às 21h, e aos sábados, das 08h às 12h. No ano passado, o primeiro Exame Internacional SMRP foi realizado durante o 27º Congresso Brasileiro de Manutenção e a Expoman 2012, no Rio de Janeiro.

  
A SMRP é uma sociedade sem objetivo de lucros, formada para preparar lideranças e avançar conceitos estratégicos de Confiabilidade e Gestão de Ativos. A instituição oferece formação que agrega valor tanto para os profissionais, quanto para empresas, a fim de que aprimorem e disseminem suas melhores práticas. A sociedade já certificou mais de três mil pessoas. 

Inscrições e mais informações, acesse a seção de “Cursos e Eventos” no site da Abraman (www.abraman.org.br). Para ver a lista dos brasileiros certificados pelo SMRP, acesso o site da Sociedade (www.smrp.org).

 

Abraman

A Associação Brasileira de Manutenção e Gestão de Ativos é uma entidade civil sem fins lucrativos, cuja missão é contribuir para o desenvolvimento da Função de Manutenção e Gestão de Ativos, com valorização de seus profissionais, consolidando-as como fatores estratégicos para o aumento da competitividade das empresas e para a melhoria da qualidade de vida, da segurança e do meio ambiente.

Categorias:Sem categoria

Abraman lança Expoman 2013 em São Paulo

A Associação Brasileira de Manutenção e Gestão de Ativos, Abraman, promoveu na noite do último dia 12, o coquetel de lançamento da Expoman 2013.

O evento, que aconteceu no Instituto de Engenharia em São Paulo, reuniu os principais setores do País, além de ter iniciado os preparativos para a 28ª Exposição de Produtos, Serviços e Equipamentos para Manutenção e Gestão de Ativos que será realizada em paralelo ao 28º Congresso Brasileiro de Manutenção e Gestão de Ativos e o 5º Congresso Mundial de Manutenção e Gestão de Ativos, em setembro do ano que vem, na cidade de Salvador, Bahia.

Após movimentar cerca de R$ 150 bilhões no ano passado, o mercado de manutenção e gestão de ativos apresentará aos empresários de todos os segmentos da economia medidas eficazes de manutenção e gestão de ativos.

A feira disponibilizará cerca de 2.680m² para venda das exposições no Centro de Convenções da Bahia. O espaço dos estandes serão divididos em três halls, totalizando 70 estandes de 20m², mais 10 estandes com 40m² e 11 estandes de 80m². Com essa variedade de tamanhos, a organização facilitará a interação dos empresários com a exposição.

Mais informações, acessar www.abraman.org.br ou ligar para 21. 3231-7000

Prioridade de atendimento dos serviços de manutenção

Qual deve ser a metodologia utilizada para estabelecer a prioridade de atendimento dos serviços de manutenção? Quem grita mais é atendido primeiro? Quem manda mais tem atendimento preferencial?

A prioridade ao atendimento dos serviços de manutenção é um tema que gera muita discussão, porém quando definida e divulgada corretamente, pode trazer muitos benefícios a empresa.

Em um estudo, foram revisadas mais de 15.000 ordens de serviço em grandes empresas americanas e se observou que 47% dos serviços poderiam deixar de serem executado, o que correspondia, nessas empresas a gastos desnecessários de mais de $ 8 milhões em mão de obra e material.

Prioridade de atendimento são normas ou padrões de gerenciamento que indicam os critérios a serem adotados para definir a seqüência de atendimento, quando existirem vários pedidos pendentes ou simultâneos e acima da capacidade de atendimento momentâneo.

Todo o serviço de manutenção deve ser classificado com uma prioridade de atendimento bem definida, pois é muito comum que o solicitante de um serviço classifique a sua solicitação como prioritária, sendo ela prioritária ou não. Cabe a manutenção deixar muito bem claro aos solicitantes qual a metodologia utilizada para classificar a prioridade dos serviços.

Quando não existe uma classificação de prioridade de atendimento formalmente definida, pode causar uma transferência para que a prioridade seja definida pelo próprio solicitante do serviço, correndo o risco de que todos solicitem ao mesmo tempo a execução dos serviços.

Existem empresas que para cada prioridade de atendimento de manutenção define um tempo máximo para que o serviço seja concluído e por meio de indicadores acompanha os resultados para verificar a eficácia.

A seguir são descritas algumas possíveis classificações de prioridades de serviço de manutenção.

Emergência

Os serviços de emergência são os serviços corretivos que devem ser executados de imediato, assim que a manutenção for notificada, pois envolvem:

a)             Risco de vida humana;

b)             Risco de danos à pessoa;

c)             Risco ao meio ambiente;

d)             Risco de danos ao patrimônio da empresa;

e)             Risco de perda de produção.

Em algumas situações aceita-se que a equipe faça reparos improvisados, mas seguros, ou dentro de critérios mais fracos de qualidade devido à criticidade da situação.

Os tipos de serviços que são classificados como emergência não podem se tornar uma rotina dentro de uma organização, pois será um sinal de que a maneira com que a manutenção está sendo administrada pode não ser a mais correta possível.

Urgência

Os serviços de urgência são os serviços corretivos que podem se tornar de emergência, por isso não há necessidade do atendimento imediato, o executante pode terminar algum serviço que está realizando para que posteriormente vá atender um serviço de urgência. Porém pode ser destacando que o intervalo de terminar um serviço que está em andamento para se iniciar um serviço urgente não deve ser exagerado demasiadamente, deve haver bom senso, pois se o serviço que está sendo executado possui prioridade normal ou prorrogável e a duração do mesmo se refere a um grande intervalo de tempo, deve-se deixar para executar posteriormente e executar o serviço urgente para que não se torne emergente.

A urgência é a segunda prioridade de atendimento, tendo como maior que ela apenas a emergência.

A classificação de um serviço como sendo de urgência pode ser mais difícil de ser visualizado pelo solicitante do serviço, causada pela diferença entre a emergência e a urgência apenas em que uma causa danos e a outra pode causar. Até mesmo o dicionário faz referência de uma palavra com a outra, somente em publicações técnicas é que são estabelecidas definições para diferenciá-las.

Programada

São classificados como programados todos os serviços que se referem ao plano de manutenção preventiva ou até mesmo intervenções solicitadas com o auxílio de análises de manutenção baseada na condição (preditiva)

Normal

A prioridade normal é aquela que não exige prontidão no atendimento, mas não significa que possa ser esquecida, ou então, sempre adiada, deve haver um controle destes tipos de serviços e manutenção deve garantir que dentro de um determinado espaço de tempo os mesmos sejam executados.

A grande vantagem de serviços com prioridade normal é que a manutenção pode escolher o melhor momento para realizá-los, sejam levando em consideração a disponibilidade de mão-de-obra, de materiais, ferramentas, parada do equipamento, condições climáticas, etc.

Prorrogável

É o mais baixo nível de prioridades quando definidos por palavras e é usado para serviços que podem ser executados ou não, sem que existam problemas para a fábrica ou unidade industrial.

São classificados com a prioridade prorrogável, manutenções em equipamentos que não façam parte de processos principais e sua parada não cause nenhum desconforto aos usuários. Inspeções em equipamentos que estão fora de operação podem ter as suas prioridades classificadas como prorrogável.

Fonte:

BRANCO FILHO, Gil. Dicionário de Termos de Manutenção, Confiabilidade e Qualidade. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2006.

BRANCO FILHO, Gil. A organização, o Planejamento e o Controle da Manutenção. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2008.

TAVARES, Lourival Augusto. Como a manutenção pode apoiar a produção? 2007. Disponível em: http://manutencao.net/blogs/lourival/.

%d blogueiros gostam disto: