Inicial > Gestão > O papel da manutenção em tempos de crise

O papel da manutenção em tempos de crise


Depois de muito tempo sem publicar novidades no Blog, hoje escrevo sobre um tema que se arrasta há alguns meses e ainda poderá continuar por um bom tempo em pauta, que é o momento de incertezas que vivemos, principalmente na economia.

O objetivo do meu post não é entrar nas questões políticas atuais desse momento de crise e sim apresentar algumas possibilidades que se apresentam, pois podemos evoluir, mesmo diante de tempos de crises.

O cenário atual pode afetar consideravelmente os planos de investimentos das empresas e com isso afetar o crescimento econômico de uma maneira geral, o que freia o momento que o nosso pais vivia, que até então era considerado positivo, com atuação forte com outros países emergentes.

A Manutenção é uma grande aliada na redução dos custos operacionais e também para garantir a qualidade dos produtos e serviços. Nós profissionais de Manutenção podemos e devemos criar oportunidades para ganhar espaço frente as demais empresas do mercado, pois uma equipe de manutenção bem “ajustada”, é um grande diferencial de competitividade. Uma prova da importância do papel da Manutenção é que profissionais ligados ao suporte da operação (como a Manutenção) são os menos impactados pela redução do quadro de funcionários.

Segundo dados da Associação Brasileira de Manutenção (ABRAMAN) de 2013, os gastos com manutenção em média representam 4,69% em relação a receita das empresas, todo e qualquer estudo para redução de custos deve levar em consideração o impacto dessas ações.

É muito comum, nesses momentos que ocorra uma retração, porém é muito importante que não afetem investimentos futuros, que devem ser feitos de maneira estratégica e com uma correta priorização das ações que serão mais efetivas em um momento futuro de crescimento.

Além dessa crise econômica, temos a crise hídrica e energética, que faz com que os desafios sejam ainda maiores, a seguir são relacionadas algumas ações e pontos de reflexão que devem ser considerados nesses momentos:

  • Como o momento é de segurar gastos com a aquisição de peças e serviços é importante utilizar um bom tempo para revisar os procedimentos e planos de manutenção, para que no momento de aquecimento da economia, as práticas de manutenção estejam de acordo com o novo cenário;
  • Criar planos de melhorias em conjunto com as áreas clientes;
  • Criar grupos e metodologia para análise de falhas;
  • Trabalhar na redução de consumo de água e energia elétrica, seja com conscientização, ou até mesma com a substituição dos altos consumidores (por exemplo equipamentos antigos ou na substituição de lâmpadas fluorescentes por LED);
  • Nesse momento o corte de treinamentos externos é quase certo, porém é possível também desenvolver as equipes com mão de obra interna, multiplicando o conhecimento cada um na sua área de formação;
  • A gestão da manutenção é uma tarefa constante e esse momento é útil para que seja elaborado um planejamento visando os próximos anos;
  • Pensar nas questões de eficiência e confiabilidade dos ativos da empresa;
  • Necessidade de um sistema de gestão da manutenção;
  • Com uma diminuição na aquisição de itens sobressalentes, para não se comprar itens de baixa qualidade é interessante desenvolver novos fornecedores ou até buscar soluções inovadoras e preços mais competitivos.

E para vocês?

Quais ações precisam ou estão sendo desenvolvidas em sua empresa no momento de crise?

 

Anúncios
  1. Michel Brasil
    novembro 23, 2015 às 1:28 pm

    A bastante tempo a palavra de ordem na CIA que trabalho é a austeridade, e como isso, houve a necessidade de nos ajustarmos frente ao mercado. Além da otimização dos planos de manutenção e da busca de novos fornecedores, estamos evoluindo muito no processo de monitoramento das condições. Desde 2014 já não trocamos os grandes componentes de nossos equipamentos por horas trabalhadas. Passamos a utilizar em nossa rotina varias técnicas preditivas (ex: vibração, análise de óleo, inspeção de filtros e bujões magnéticos, análise dos dados vitais dos equipamentos, etc) que vem nos norteando na decisão da substituição para que consigamos maximizar a utilização dos grandes componentes e com isso reduzirmos os nossos custos de manutenção. Att, Michel Brasil.

    • novembro 25, 2015 às 1:24 am

      Michel, boa noite!
      Agradeço muito a sua participação e realmente essa questão de monitoramento das condições é muito importante para apenas efetuar a substituição de um componente com a certeza de que é o mesmo que está com falha.
      Agradeço novamente a sua colaboração!!

  2. novembro 24, 2015 às 12:23 pm

    Excelente Texto!

  3. novembro 30, 2015 às 8:14 am

    Parabéns pelo texto! Tomei a liberdade de “reblogá-lo” em meu site usando a própria ferramenta de “reblog” do WordPress.
    Abraços,
    Alexandre Lara

    • dezembro 19, 2015 às 9:51 pm

      Olá Alexandre, muito obrigado por ajudar a divulgar, sem problemas e reblogar!!

  4. dezembro 15, 2015 às 11:24 am

    Republicou isso em Operação & Manutenção Sustentávele comentado:
    Vejam este post do Blog Manutenção Eficaz

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: